JB Drummond

Palavras ao Vento. Resolutas, Destemidas.

Textos

Liberdade
Sou a voz que grita
Nas favelas e nos campos
Estrangulada, contida.
Sou a garganta aberta
Dos miseráveis e aflitos
Ao clamor interrompido.
Sou a palavra não dita
Pássaro em vôo abortado.
Sombra de uma promessa
Não cumprida.
Sou o canto que não ecoou
Preso na masmorra do arbítrio
De uma lei que se calou.
Sou um morcego negro
Esvoaçante, que cruza
Os céus da cidade
Em noite de lua pálida.
Sou a gargalhada sussurrante
Inaudível em meio ao caos.
Meu nome é Liberdade.










João Drummond
Enviado por João Drummond em 11/02/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras